Home » » MARIDO DE MINHA AMIGA É...HOMEM - parte 2

MARIDO DE MINHA AMIGA É...HOMEM - parte 2


AUTOR- MAXIMUS


Elisa nos convidou para passar um fim-de-semana em sua casa de praia, na enseada de Pernambuco, no Guarujá. Após nossa primeira transa, eu havia ficado com algum remorso, afinal Luiz é meu amigo, ela é amiga da minha mulher, portanto o clima ficou meio confuso e eu procurei me afastar um pouco, com receio de complicar os dois casamentos. Mas Elisa sabia ser persuasiva e convidou minha mulher, insistentemente, até que não tive mais como evitar o convite.
Chegamos ao Guarujá no início da noite. Verão quente e os raios de sol se banhavam na resplandecência das águas. A imagem era verdadeiramente de cartão postal. Logo após deixarmos as malas, saímos em direção a um restaurante no início da praia do Perequê, onde você fica literalmente com o pé na areia. A visão do lusco-fusco com aquelas silhuetas dos barcos pesqueiros, agora recolhidos e balançando ao sabor da ondas, trazia uma sensação de paz incrível.
Elisa está vestida com uma bermuda branca transparente e com uma pequena calcinha fio dental da mesma cor. É difícil para mim disfarçar a vontade de olhar aquela bela bunda, já que ela não para quieta na cadeira do restaurante. Levanta-se a todo momento, ora para ir ao banheiro, ora para visitar a "chef" de cozinha que é sua amiga ou buscar o celular que esqueceu no carro. A visão é realmente tentadora.
Luiz, como sempre, bebe por demais da conta. Uma caipirinha após a outra, sem nenhum limite! Os primeiros sintomas de embriaguez, já começam a aparecer e a conversa entre Elisa e ele toma um tom um pouco mais tenso, já que responde rispidamente, por várias vezes, aos pedidos de Elisa, para que pare de beber.
Tento não me intrometer na conversa, já que o assunto não me diz respeito, mas minha mulher, em apoio à amiga, engrossa o coro e reclama com o Luiz também, pelo excesso. Bêbado, Luiz diz um monte de imprompérios e o que era para ser uma noite agradável se transforma num mico sem precedentes.
Ao chegarmos a casa, Luiz se recolhe aos seus aposentos, completamente bêbado e dando um vexame daqueles. Elisa, super desconfortável, tenta se desculpar connosco, ficando numa situação pra lá de desagradável. Coloco a calça do pijama de seda, sem a camisa e fico na cama esperando minha mulher, cheio de más intensões, afinal já tinha quase uma semana que não dava uma boa trepada. Assim que Martha se deita, começo a acariciá-la nas costas, mas ela abruptamente se vira para mim e fala:
 - Nem vem que eu “to” puta da vida com o Luiz, hoje nem a pau eu vou conseguirtransar!!! Não estou no pique, depois desse papelão dele com a Elisa.
Tentei argumentar, mas não deu em nada. Deitei-me de costas na cama, fitando o teto e xingando mentalmente aquele merda do Luiz, por arruinar a minha transa... Lá fiquei por mais de uma hora, mas o sono não vinha. Martha dormia pesadamente e o incómodo do calor ou talvez a cama estranha, me tirava o sono.
Resolvi me levantar e ir até à cozinha tomar um pouco de água. Ao me levantar, vi que as luzes da piscina, que fica ao lado da casa, estavam acesas e ao passar pela sala, reparei que as janelas que dão para o Jardim, estavam entreabertas. Passei pela fresta, puxando a janela atrás de mim e vi Elisa sentada dentro da Hidro da piscina. Me aproximei devagar e vi que estava chorando.
- Elisa?
- Oi!... me desculpe! Era pra ser um fim-de-semana perfeito...
- Não se preocupe...
- Perdeu o sono também?
- É.. perdi...
- Entra um pouco na hidro... vai te relaxar...
Meus sentidos ficaram alertas, hidro, madrugada, bikini... isso não vai prestar...
- Não posso, estou de pijama...
- Ora... tire... qual o problema?...
- Não dá!! E se a Martha acorda??? Ou o Luiz?
- Tem razão!!!
Nesse momento, Elisa levanta-se da hidro, apanha a toalha, se enxugando… e vem na minha direção... me olha no fundo dos olhos, se aproxima e me beija na boca, com desejo e luxúria... meu pau fica duro na hora... Elisa desce sua mão pela minha barriga e por cima do pijama de seda, acaricia meu pau levemente...
Segura na minha mão e diz:

 – Vem comigo!

A casa é praticamente na areia da praia, abre o portão e vamos em direção à praia, estende a toalha e não existe viva alma naquele lugar, só a luz da lua cheia, que ilumina parcamente as águas prateadas do mar.
Elisa solta a parte de cima do seu biquíni, libertando aqueles seios maravilhosos... aponta-os em minha direção e diz...
– Você não vai beijá-los?
Nesse momento, perco a razão de tudo, coloco aqueles bicos rosados na boca e começo a sugá-los com sofreguidão... mordisco de leve os mamilos e os sinto ficarem tesos na minha boca... ahh… como é gostoso mordiscar aqueles mamilos deliciosos...
Afasto-me dos seios e beijo novamente a boca de Elisa, sua língua possuída, se entrelaça na minha, com uma volúpia incrível... medeixo levar pelas sensações e sinto a mão de Elisa deslizando sorrateiramentepor dentro do meu pijama...
Assim que o abaixa, Elisa cai de joelhos na minha frente e começa a fazer uma chupeta forte... aperta meu pau no meio dos dentes para tirá-lo em seguida de dentro da boca e enfiá-lo novamente até o fundo da garganta... e fode meu pau com a boca como se fosse uma buceta sedenta por cacete... fica assim por muito tempo... até que sinto meu gozo se aproximando...
- Vou gozzarrr!!!
- Vemmm!
Segura a base do pau com a mão, apertando-o e circunda a cabeça do meu pau com seus lábios... a língua se enrola na cabeça e toca levemente os lábios na uretra... um espasmo percorre minha espinha e sinto minha porra jorrar forte na língua de Elisa. Pega a cabeça do meu pau e começa a mamá-la com gosto, apertando a glande com seus lábios... sinto minha seiva esvair-se, enquanto Elisa sacia sua fome por porra...
- Delícia... exclamou!
- Gostou?
-Adorei... adoro o gosto da sua porra na minha boca...
Segurei Elisa pelos cabelos e beijei-lhe a boca com tesão... o cheiro do meu pau exalava do seu rosto...
- Me come??
- Como, sim...
- Aqui não... tenho medo... lá em casa...
- Você é louca???
- Sou... por você... quero que você coma meu cuzinho denovo...
Voamos para a casa, passamos pelo portão e entramos direto na hidro... neste momento já não distinguia a razão, somente o tesão tomava conta dos meus impulsos. Elisa sentou–se na borda da hidro e ofereceu sua buceta depilada para mim... me aproximei e sentio cheiro de fêmea exalando, aproximei meu rosto e lambi aquele mel que escorria da sua buceta... que delícia aquele gosto... meio azedo... meio salgado... me inebriei com os cheiros e ogosto... meti fundo minha língua na sua gruta, arrancando suspiros de tesão.Alternava suaves lambidas no seu grelo, com penetrações profundas em sua buceta... Elisa delirava de tesão, arfava forte e segurava a boca para não gemer alto... Elisa estava ensandecida de tesão...
Molhei meu dedo com saliva e enquanto me deliciava, chupando sua buceta, comecei a introduzir meu dedo médio em seu cuzinho quepiscava de tesão... aos poucos, Elisa foi relaxando e senti meu dedo se introduzindo com mais facilidade no seu cú.
Elisa tinha espasmos seguidos e contraia a musculatura do cú, apertando meu dedo como um alicate e assim continuou, até que gozou convulsivamente...
Levantou seu tronco e veio por cima de mim de cavalinho... colocou sua buceta na pontinha do meu caralho de deixou agravidade fazer o resto... lentamente, senti meu pau sumir no fundo da sua buceta...

- Me fode como macho... não como aquele corno do Luíz...
Começou um vai-e-vem delicado, mas aos poucos foi aumentando seu ritmo, sua pele estava toda arrepiada pela brisa noturna e pelo tesão de estar numa situação perigosa... curvava seu corpo para trás, me oferecendo os seios deliciosos... ah… eu me fartava em chupá-los, devorando-os como se fossem frutas maduras...
Elisa estocava meu pau com força, como se não mais quisesse que acabasse. Acelerou o movimento, arqueando seu tronco e contraindo a musculatura da sua buceta... senti as contrações e espasmos múltiplos. Elisavirou os olhos, com os dentes trincados para não fazer barulho. Neste instante, gozava incessantemente no meu pau... Me abraçou ternamente, me beijou com carinho e sussurrou no meu ouvido:
- Vem comigo...
- Onde?
Colocou o indicador sobre os lábios, pedindo silêncio e nua sob a luz do luar segurou minha mão...
Entramos os dois nús no interior da casa, já sem receio de sermos descobertos. O tesão realmente faz com que as pessoas cometam loucuras. Elisa movia-se, mesmo no escuro, com facilidade, dentro da enorme casa. Entramos no seu estúdio, onde além do computador, havia um sofá cama super confortável...
Elisa abriu uma gaveta... pegou um tubo de KY e com a maior cara de safada me olhou nos olhos e disse:
- Agora você vai comer meu cú!
Dizendo isso, subiu no sofá e colocou uma almofada embaixo da bunda e arrebitou-a, com a maior cara de safada...
Lambuzei meu pau com KY e passei um pouco na sua bundinha...Elisa tinha uma bunda empinada e durinha... seu cuzinho piscava, enquanto eubrincava com o KY, lubrificando-o.
- Sabe que eu comprei um vibrador e eu tenho me masturbado com ele enfiado no meu cuzinho pensando em você??
Ao ouvir isso fiquei louco de tesão... aproximei a cabeça do seu cú e lentamente fui introduzindo-o. Senti deslizar devagar até chegar ao fundo e bater minhas bolas na sua bunda... Elisa havia realmente aprendido a relaxar a musculatura... Safada, começou a trancar a musculatura, enquanto eu iniciava um vai-e-vem gostoso...
- Fode, sua putinhaaa....
Com o rabo empinado, virava a cabeça pra trás, pra ter certeza que me dominava...
- Vadiaaa...
Elisa riu… aquele riso debochado... de vadia... na verdade, toda mulher com o caralho enterrado no cú, é uma puta em potencial... desferi-lhe um tremendo tapa na bunda, que chegou a deixar a marca dos meus dedos...
- Me fode que nem macho...
Elisa mexia com os meus brios... comecei a socar com força meu pau no seu cú, sem me importar, a essa altura, se doía ou se estava gostoso... segurava-a pela anca, tirava meu pau quase que na totalidade, para depois enterrá-lo de uma vez só... estocava cada vez mais forte, forcei meu peso em cima de suas ancas, de modo a deixá-las mais abaixadas, ao fazer isso,inclinei um pouco mais o meu corpo e consegui um ângulo melhor de penetração. Assim pude dar mais velocidade às minhas estocadas... mexia rapidamente, sem dar chance que Elisa respirasse... com o rosto enterrado numa almofada, ela emitia uns grunhidos abafados que agora já não me interessavam se eram de dor ou tesão. Só sei que estava possuído e tinha que foder seu cú com cada vez mais força, para conseguir gozar...



Sua musculatura, por fim relaxou-se totalmente e quando retirava meu pau por completo, podia ver seu cú completamente dilatado. Era uma visão especial... aquela executiva toda certinha, de quatro, com a cara enterrada no sofá e o rabo pra cima, levando rola feito uma vadia... uma puta sem vergonha...
Senti o gozo se aproximando, forte e de uma vez só, retirei minha rola, a segurei pelo cabelo e jorrei porra em sua cara... meu gozo espalhou-se nos seus cabelos, pelo seus rosto e um pouco na sua boca... Elisa juntou meu pau com as mãos e lambeu toda porra que ainda restava... Admirei sua expressão de puta satisfeita em fazer aquilo... de quebra, juntou o que restava de porra no seu rosto levando-a com o dedo a boca, chupando-o com um barulho estalado. Me olhou nos olhos com aquela cara de vadia novamente e disse... 
-isso sim é foder como macho!

(continua...)
 
Support : Copyright © 2015. Swkalo - All Rights Reserved